Kenjiro Ikoma fala sobre a técnica raku no Chawan Project

Kenjiro Ikoma fala sobre a técnica raku no Chawan Project

17 de setembro de 2018 0 Por bloghideko

O segundo dia do ciclo de palestras Chawan Project contou com a apresentação bem-humorada e didática de Kenjiro Ikoma, no dia 27 de julho, na Japan House, em São Paulo.

Kenjiro Ikoma, durante o ciclo Chawan Project, fala sobre sua técnica e trabalho. Foto: Rafael Salvador

A série de palestras, idealizada por Hideko Honma, começou em junho, com o objetivo de abordar conhecimentos e técnicas da cerâmica por meio de conversas, com ceramistas e especialistas, que giram em torno do chawan. Uma peça singela, que, no entanto, pode conter muitas histórias boas. Como as que Ikoma contou nesse dia.

Ikoma, que aprendeu a fazer cerâmica após chegar ao Brasil, em 1973, falou principalmente da técnica de produção raku, com a qual ele trabalha há mais de 40 anos. “É uma cerâmica mais macia ao tato. O contato com os lábios, por exemplo, é mais carinhoso”, afirmou. Ikoma, que é membro da Comissão de Arte Kogei da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa (Bunkyo), tem um ateliê em Itapecerica da Serra (SP).

Um dos chawans que Ikoma-san levou para a palestra. Foto: Rafael Salvador

O ceramista mostrou fotos e explicou como se faz a queima de peças com essa técnica, apresentando detalhes como a origem da argila que utiliza, as dimensões de seu forno, a temperatura ideal para a queima e como surgem algumas cores e brilhos dos objetos que cria.

Em uma demonstração, Ikoma sensei começa a trabalhar a argila para fazer um chawan. Foto: Rafael Salvador

Durante uma pequena demonstração de como fazer um chawan usando argila e uma prancha de madeira, Ikoma deu detalhes sobre peso e diâmetro que considera ideais para uma boa tigela. “Chawan é algo que precisa ser usado. Quem usa sabe como ele tem de ser”, disse. Quem lhe deu lições importantes sobre como deve ser um chawan foi a mestre Madoka Hayashi, da Fundação Urasenke de cerimônia do chá, contou.

Foto: Rafael Salvador

Nas mãos de Ikoma sensei, o chawan vai ganhando forma rapidamente. Foto: Rafael Salvador

O ceramista disse ainda que, como aprendeu a fazer cerâmica no Brasil, em uma época em que não havia muitos livros ou professores sobre o tema, ele precisou pensar em muitas soluções sozinho. Por isso, criou suas próprias ferramentas para cortar bordas, para usar no torno, para arredondar o fundo. “Faço cerâmica à minha moda”, disse. Ainda bem!

Ferramentas de trabalho de Kenjiro Ikoma. Foto: Rafael Salvador

O ciclo Chawan Project segue até o final do ano, com uma palestra por mês. As senhas são distribuídas uma hora antes, na própria Japan House. Os próximos a falar são Akinori Nakatani, Kimi Nii, Shugo Izumi e Mitsue Yuba. A palestra de Shoko Suzuki, que estava programada para julho, precisou ser adiada e a nova data ainda será confirmada.

Confira a programação completa e as novidades no Facebook @chawanproject!

O público, atento aos movimentos e fala do ceramista. Foto: Rafael Salvador

 

Foto: Rafael Salvador